ouvido humano

Muitas vezes se ouve dizer que as mulheres falam demais… Mas não tem problema. Porque o ouvido masculino (seletivo) escuta somente o que interessa. Preste atenção: O que a mulher diz: - Esse lugar está uma bagunça, amor! Você e eu precisamos limpar isto. Suas coisas estão jogadas no chão e você vai ficar sem roupas pra usar se não lavá-las agora mesmo. O que o homem escuta: blah, blah, blah, blah, AMOR, blah, blah, blah, blah, VOCÊ E EU, blah, blah, blah, blah, NO CHÃO, blah, blah, blah, blah, SEM ROUPAS, blah, blah, blah, blah, AGORA MESMO. (Carlos Drummond de Andrade)

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Artimanhas.

               Não há como negar, paquerar e conquistar é muito bom! faz maravilhas no corpo e espírito, nos preparamos com todas as armas possíveis; charme, sedução, marketing, insinuações, cantadas criativas ou não, abrimos mão de nosso tempo, ligamos todos os dias, damos um jeito da pessoa notar nossa presença, convidamos pra sair, procuramos saber tudo de sua vida, mandamos flores, presentes, somos super educados, sempre melhores que os paqueras anteriores, em tudo! dificilmente expomos nosso verdadeiro EU, não esqueçam que o objetivo é a vitoria, vale tudo pra levar o alvo pra cama, chega um momento que você fica se questionando se é a caça ou está sendo caçado, pois as vezes acha que está sendo manipulado, não existe um prazo para a conquista, mas não se deve deixar de insistir, investir, aumentar a marcação, marcar presença, nada se compara ao prazer de ter conseguido alcançar aquilo que você definiu como uma meta, sim, ao vermos nosso sorriso refletido no espelho por termos ganho mais uma, vale a pena tudo isso, e depois que conquistamos? ai, é outra historia. Mas não deixem de namorar, paquerar, curtir, todos sabemos que beijar é essencial a saúde! então, que caia uma chuva de beijos em cima de todos nós!!!!!!!!!!!!  e que o sol aqueça nossos corpos trémulos! <><><><><><><><><><><>

Um comentário:

Flor disse...

A língua lambe

A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.

E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,

entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos.

Carlos Drummond de Andrade